quinta-feira, 6 de maio de 2010

Quem você foi numa vida passada?

Nação Palestrina.

Identidade é muito mais do que um documento com nome e uma foto de otário.

Identidade é saber quem você foi e quem você é.

Conheço,todas as minhas vitórias e meus fracassos e em todos os meu fracassos sempre houve muita luta.

Luta essa,que sempre me mantiveram de cabeça erguida mesmo que derrotado eu tenha sido.

Do que vale uma vitória sem luta?

Uma derrota numa guerra vale mais do que uma vitória sentado no sofá.

O Palmeiras para mim sempre representou isso.

Nós,desde 1914,lutamos contra a repressão e contra uma origem que não era brasileira,mas sempre com suor e sangue vencemos todo o tipo de retaliação.

Retaliação que nos obrigou a trocar de nome e quase nos fez perde um patrimômio conquistado por palmeirenses de caráter.

Caráter,ahhh como era bom enxergar isso no Palmeiras,como sinto falta disso.

Hoje,vejo muitas coisas no Palmeiras,ou melhor,naqueles que comandam o Palmeiras,mas caráter,não vejo.

Suor,sempre tivemos,suamos para construir nosso patrimônio,suamos para nos tornarmos o campeão do séculoXX.

Hoje e já a algum tempo,não vejo mais isso,e futuramente não vão permitir que nem os torcedores suem pelo time,afinal estaremos confinados ao ar condicionado na tal Arena.

Guerra,uma de minhas palavras preferidas.

Vencemos inumeras guerras dentro de campo,vencemos a 2° guerra mundial e hoje,estamos perdendo uma guerra onde só à palmeirenses.

Poder,a guerra pelo poder.

É a guerra que estamos perdendo,desde mustafá,passando pelo Della Monica e chegando no Belluzzo,sem esquecer é claro dos nossos conselheiros,criadores da guerra,onde não a vencedores,muito pelo contrário,são 16 milhões de derrotados.

Vitória,quantas vitórias do nosso verdão eu tive o privilégio de presenciar.

Em 1995,primeiro jogo contra o Grêmio no Olimpico,perdemos por 5 a 0 e na volta vencemos por 5 a 1 e fomos desclassificados.

1999,Palmeiras 0 Manchester 1 e perdemos a Copa Toyota.

Duas derrotas,mas que para mim foram vitórias,porque eu vi aquilo que me fez ainda quando criança torcer pelo Palmeiras,ou seja,guerra,luta,amor,honra.

Hoje,o Palmeiras tornou-se aquilo que nossos rivais sempre desejavam.

Um clube fraco,perdedor ou melhor,acostumado com o fracasso,ou melhor ainda,dirigido por palmeirenses que não se importam com o fracasso.

E,para piorar,um conselho que torce pelo fracasso do clube,quanto pior,melhor.

Assim,os senhores construtores da guerra,vencem.

Vitória do conselho,derrota do Palmeiras.

E por 10 anos,assim como aqueles outros 16 anos,nos tornamos apenas,um nada.

Um comentário:

Anakin disse...

Belo texto,principalmeite a parte da "guerra pelo poder".