sábado, 30 de abril de 2016

Propósito, identidade e objetividade.

Nação Palestrina.

Não só um clube de futebol, mas em todos os seguimentos, o seu propósito é um dos diferenciais para se alcançar o sucesso.

O seu propósito e o objetivo traçado determinam os frutos que você colherá a curto, médio e longo prazo.

E isso a Sociedade Esportiva Palmeiras está tentando resgatar após 15 anos de péssimas administrações, pós Parmalat.

Isso não quer dizer que na Era Parmalat a administração Mustafá Contursi tenha sido saudável para o clube, porém, o dinheiro da multinacional italiana maquiava todos os problemas do clube.

Além do próposito e objetivo, nós palmeirenses sentimos e muito a falta de algo que haviamos perdido.

Jogadores com identidade alviverde.

Num passado, não muito distante, tinhamos jogadores que respiravam Palmeiras, como Evair, Edmundo, Marcos entre outros.

Porém, eu não sentia, a muito tempo, um treinador com tanta identidade com o Palmeiras como o Cuca.

O projeto que ele tem em mente vai dar certo ?

Não sei.

Mas, se não der, deixará uma base sólida, necessária e indispensável para um clube de futebol.

Ao chegar, pela situação na libertadores e Paulista teve que tocar o barco da melhor forma possível, e após as desclassificações arregaçou as mangas para concertar os inúmeros erros do Alexandre Mattos e Paulo Nobre.

Identificou as carências do time. A pouca estatura dos atletas, a falta de um bom zagueiro para fazer dupla com o Vitor Hugo, e a ausência de um articulador.

E, chegar a dormir num sofá na Academia de Futebol  nos mostra o quanto o Cuca está trabalhado nesse projeto.

Eu sentia falta dessa identidade, a mesma que sinto hoje apenas com o Fernando Prass.

Confio no trabalho do Cuca e estou apoiando.

Saudações Palestrinas

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Segundo Semestre, brasileirão.

Nação Palestrina.

Após o término desastroso do primeiro semestre, para o Palmeiras, a diretoria iniciou o planejamento visando o brasileirão.

Confesso que foi mais rápido do que esse blogueiro imaginava, mas o clube e o time/elenco estavam precisando.

Vamos analisar individualmente cada caso.

Fellype Gabriel : contrato rescindido. Deus existe !   Corrigindo uma das maiores e inexplicáveis contratações feita pela gestão Paulo Nobre.

Infelizmente o prejuízo com os salários e gastos médicos são irrecuperáveis. 

Bola para frente.

Victor Luís : Esforçado, mas limitado. Boa sorte para ele no Bota Fogo. Não fará falta.

Nathan : Ficaria com ele. Quem tem que sair é o Leandro Almeida.

Robinho, Lucas  x  Fabricio, Fabiano : Esse negócio vai dar o que falar na rua Turiassú   Palestra Itália.




Confesso que jamais morri de amores pelo Robinho, apesar dos dois golaços que ele fez no Rógerio Ceni.

E, o que mais  ele fez ?

Robinho é um jogador lento demais e raramente traz desequilíbrio ao jogo.

Mas, é um atleta que tem mercado e poderiamos lucrar com uma possível venda.

Lucas começou muito bem no verdão, mas foi caindo de rendimento. Será que não seria o caso de tentar recuperar o atleta?

A comissão técnica vem fazendo um trabalho de recuperação com o  Egídio e aos poucos ele vem recuperando o seu futebol.

A chegada dos cruzeirenses :

Fabricio : Esse jogador teve seu contrato rescindido pelo Inter de Porto Alegre após se revoltar com a torcida colorada tirando a camisa do Inter e jogando ela no chão.

Em seguida contratado pelo Cruzeiro e não deixará saudades com sua saída.

Fabiano : confesso também, que não conheço esse atleta, mas segundo o blog Observatório Alviverde , esse jogador é frequentador assíduo do ótimo DM cruzeirense.

O que já me deixa  preocupado.

Se, com toda a estrutura da Toca da Raposa o atleta vive machucado, imaginem com o sucatiado DM alviverde ?

Com essa troca deixo aqui duas observações.

 Foi um pedido do Cuca.

Treinador que mais me agrada na gestão Paulo Nobre. 

E por esse motivo, aguardarei e darei meu apoio.

O mandato do Paulo Nobre está terminando e não sabemos se o próximo presidente do verdão permanecerá com o Alexandre Mattos.

Será que o Mattos está tentando abrir as portas que se fecharam para ele na sua saída do Cruzeiro ?

Assunto também levantado no Observatório Alviverde e extremamente relevante.

Aguardaremos ...

Saudações Palestrinas.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Planejamento x Alucinações doentias.

Nação Palestrina.

O Palmeiras foi eliminado do paulista de maneira mais honrosa do que na Libertadores, apesar dos perdedores e responsáveis diretos e indiretos afirmarem que,  saimos de cabeça erguida.

E após mais essa eliminação faço algumas considerações.

Crefisa : segundo a imprensa, deposita anualmente em nossos cofres algo em torno de 68 milhões de reais.

Crefisa que ameça constantemente rescindir contrato com o verdão pelo descaso e desrespeito que o Paulo Nobre tem com a empresa.

Vale lembrar que esse blogueiro foi defensor da candidatura de Paulo Nobre para a presidencia do verdão.

http://scoppia.blogspot.com.br/2011/01/erro-apos-erro.html

Avanti : arrecadação de 23 milhões anuais, segundo a imprensa.

Bilheteria : arrecadação superior a 72 milhões  bruto. 43 milhões liquido.

A folha salarial do Palmeiras ultrapassa a casa dos 11 milhões.

A folha salarial do Santos é de pouco mais de 3 milhões.

Arrecadamos muito, mas gastamos errado.

Contratações como as que citei na postagem anterior é o reflexo das alucinações de  Alexandre Mattos, que não sabe nada sobre direção de futebol, e Paulo Nobre.

Alucinações confundidas com planejamento.

Contratados com futebol infinitamente inferior aos que sairam, aliada as "apostas"  para a disputa da Libertadores e paulista culminaram com  a perda do semestre.

Agora, que venha o  brasileirão, acompanhado de um pouco de sensatez e inteligência.

É pedir muito ?

Saudações Palestrinas.

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Cabeça erguida. Humilhação!

Nação Palestrina.

A Sociedade Esportiva Palmeiras, como todos sabem, foi eliminada da Libertadores, mesmo goleando o River do Uruguai.

E, como era esperado, a diretoria e jogadores afirmam que o verdão saiu da competição de cabeça erguida.

Discurso, apenas discurso, pronto antes da partida. 

Aos perdedores, nada.

Ao Palmeiras, a vergonha.

O maior campeão nacional, com 8 brasileiros e 3 Copas do Brasil jamais será eliminado na primeira fase de uma Libertadores e sairá de cabeça erguida.

O único clube que vestiu a camisa da seleção brasileira, entre titulares e reservas, do roupeiro ao treinador, não pode ser eliminado dessa forma.

Responsáveis ?

Jogadores tem sua parcela de culpa, porém coloco mais essa humilhação na conta do Paulo Nobre, Alexandre Mattos e do nosso ridiculo e patético departamento médico, o pior entre os grandes do  Brasil.

Com muitas lesões, dos "bons jogadores" , muitas contratações ruins e lacunas não preenchidas determinaram o fracasso alviverde.

Contratações como : 

Leandro Almeida : já com histórico ruim no Coritiba.

Roger Carvalho : limitadissimo jogador do Bota Fogo.

Fellype Gabriel : considero essa a contratação mais ridicula de todas.

Erik : muito dinheiro por uma promessa e até agora nada.

Régis e Moisés : inexplicável suas contratações, mesmo que venham à surpreender.

Rodrigo : outra promessa que nada tem a acrescentar.

Agora, reparem !

Com exceção do Erik, todos zagueiros ou meias/volantes.

Os dois maiores problemas que temos no time.

A falta de um 10 e a ausência de um bom zagueiro para fazer dupla com Vitor Hugo.

Vale lembrar que tinhamos um bom zagueiro, o  Tóbio, titular absoluto até se machucar, e depois, por interesses estranhos emprestado ao Boca Juniors sem sequer voltar a jogar.

Além do Vitor Ramos, reserva, mas bem melhor que Leandro Almeida e Roger Carvalho.

E, não poderia deixar passar, a saida do Valdivia.

O que tanto nos fez falta nessa Libertadores, um 10.

Não vou perder meu tempo em discutir se ele é isso ou aquilo.

No Brasil, vejo apenas o Lucas lima ao nivel do Valdivia.



Resultado final de toda essa lambança : eliminação na primeira fase da Libertadores.

Cabeça erguida, não !

Humilhação.

Saudações Palestrinas.

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Paulo Nobre e Crefisa.

Nação Palestrina.

Como se não bastasse o esforço descomunal do presidente Palmeirense em afastar as classes sociais de baixa renda do Allianz Parque, Palestra Itália, o mandatário alviverde tem o talento natural em comprar briga com patrocinadores que outros clubes dariam de tudo para ter, o que é o caso da Crefisa.

A muito tempo o Palmeiras não possui um patrocinador com tamanho interesse em recuperar o prestigio, a muito perdido, do verdão em relação ao futebol brasileiro.

Além da ridicula " homenagem" proposta pela diretoria do Palmeiras em criar uma camisa comemorativa usando o "logo" da Parmalat, a diretoria cria uma camisa comemorativa para comemorar o titulo da Copa do Brasil e estupidamente reduz o tamanho original da marca Crefisa estampada na nossa camisa.

Como pode um presidente ser tão burro ?

Cogitar expor a marca de uma empresa que não coloca um centavo nos cofres palmeirenses, ou seja, a Parmalat.

E, como se não bastasse, reduz o "logo" da Crefisa,que deposita, segundo a imprensa, 68 milhões anuais.

Agora a Crefisa, ciente da imaturidade do presidente do verdão, coloca uma cláusula  de 2,5 milhões no contrato, caso o Palmeiras reduza novamente o tamanho original de sua marca na nossa camisa.

Inacreditável, como podemos ter um presidente extremamente fútil.

Saudações palmeirenses.


terça-feira, 5 de abril de 2016

A falência do Estado.

Nação Palestrina.

No último fim de semana, o maior clássico do futebol brasileiro, disputado no Pacaembu, mais uma vez, mostrou a superioridade alviverde na disputa.

Porém, o tema desta publicação é outro.

Novamente, um conflito entre as organizadas de Palmeiras e Corinthians acabou resultando na morte de outro torcedor.

Lamentável.

E, para "solucionar" o problema, a  Secretária de segurança Pública, a pedido do Ministério Público, decidiu que todos os clássicos Paulistas serão realizados com torcida única.

Essa decisão, é o reconhecimento que a segurança pública de São Paulo está falida e não tem condições de fazer a segurança não só dos torcedores paulistas, mas também, a segurança do cidadão paulistano.




Vale ressaltar, que a briga resultante na morte do torcedor foi realizada a quilometros do Pacaembu, o que não justifica tal decisão das autoridades paulistas.

Essa decisão, vai impedir que torcedores corintianos esperem torcedores palmeirenses nas ruas da capital paulista para brigarem quando o jogo for no Palestra Itália, e vice versa quando o jogo for em Itaquera ?

Evidente que não.

 Mais uma vez o promotor Paulo Castilho nos presenteia com toda a sua incompetência, a serviço da cidade de São Paulo.

Saudações Palestrinas.