Sociedade Esportiva Palmeiras

Sociedade Esportiva Palmeiras

quinta-feira, 4 de abril de 2019

Palmeiras pode dar um prejuízo de R$ 100 milhões à Globo, somente no pay-per-view.

Nação Palestrina.

Por  Daniel Castro (Notícias da TV)

O Palmeiras está com a faca e o queijo na mão. Se resistir à pressão da Globo e dos clubes de futebol até o próximo dia 28, quando começa o Campeonato Brasileiro, passará a protagonizar os jogos mais cobiçados da TV e estará no centro de uma confusão que deve congestionar centrais telefônicas e gerar uma onda de ações judiciais, causando um prejuízo de pelo menos R$ 100 milhões e colocando em risco um negócio que gera uma receita de R$ 1,75 bilhão por ano ao grupo de mídia da família Marinho.

O Palmeiras é o único clube da Série A do futebol brasileiro que ainda não assinou contrato com a Globo para transmissão em TV aberta e em pay-per-view, no canal Premiere. Já o Athletico-PR ainda não cedeu à emissora os direitos para o PPV. Na TV paga, os jogos do Alviverde pertecem à Turner, que desembolsará R$ 100 milhões neste ano para mostrá-los nos canais Space e TNT. 

Nenhuma das 38 partidas do Palmeiras no Brasileirão poderá ser exibida na Globo ou nos canais Premiere (e as do Athletico também ficam fora do segundo, se não houver acordo com o clube paranaense), cuja assinatura varia de R$ 79,90 a R$ 109,90 mensais. O problema é que os assinantes do Premiere pagam, desde 1997, quando o pay-per-view foi implantado, para ter todos os jogos, sem exceção. 



A situação se agrava porque não prejudica apenas os torcedores do Palmeiras e do Athletico-PR. Os corintianos e os flamenguistas, por exemplo, não verão seus times na TV (nem na aberta, na paga ou no pay-per-view) toda vez que o adversário for o Palmeiras, em casa ou fora. Contra o clube paranaense, só se o confronto for exibido na TV aberta.

Fontes do mercado de TV por assinatura já preveem três consequências: (...) 

1) Líder em seu segmento, o Sportv ficará enfraquecido, pois, dependendo da escolha da Globo em determinadas rodadas, não terá jogos de times grandes para transmitir em São Paulo e Rio de Janeiro. Poderá sofrer derrotas humilhantes para os canais da Turner, que terão Palmeiras com exclusividade em algumas rodadas (na terceira, por exemplo, o adversário será o Internacional). 

2) A venda de novos pacotes de pay-per-view tende a cair.

3) Os assinantes do Premiere que se sentirem lesados pela ausência do Palmeiras (a princípio todos) entupirão as centrais telefônicas das operadoras de TV por assinatura com reclamações, pedidos de desconto e cancelamentos. Os mais insatifeitos poderão denunciar as operadoras para órgãos de proteção do consumidor e levar o caso à Justiça.

(...) Se confirmar esse cenário extremamente desfavorável à Globo, o Palmeiras vence a guerra já na primeira rodada do Brasileirão. Fontes do mercado de TV por assinatura estimam que a emissora terá um prejuízo de pelo menos R$ 100 milhões sem o Palmeiras no pay-per-view.

(...) Fortalecido por patrocínios e bilheterias sólidos, o Palmeiras está dificultando as negociações para forçar a Globo a remunerá-lo tão bem quanto Flamengo e Corinthians, os clubes com mais jogos na TV aberta. (...) Se ceder ao Palmeiras, a Globo sofrerá um efeito bola de neve: os outros clubes também pedirão mais (...)


Avanti 1 milhão.


Torne-se Sócio Avanti.

Contrato de Adesão ao Programa Avanti.



14.99/mês.        34.99/mês.               64.99/mês
119.99/mês.     214.99/mês.           649.99/mês. 

quinta-feira, 7 de março de 2019

Mancha verde.

Nação Palestrina.

Homenagem aos campeões do carnaval de São Paulo 2019.


Avanti 1 milhão.


Torne-se Sócio Avanti.

Contrato de Adesão ao Programa Avanti.



14.99/mês.        34.99/mês.               64.99/mês
119.99/mês.     214.99/mês.           649.99/mês. 

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Crefisa x BMG.

Nação Palestrina.

Antes mesmo da BMG ser anunciada como nova patrocinadora do Corinthians, o Banco envolvido até o pescoço na Lava Jata "cutuca" a Crefisa na Web.

Como não pretendo me alongar muito nesse assunto, vamos aos fatos.

Por Jornal do Brasil :

“Demorou. Mas só mais de 52 meses após o início da Operação Lava Jato, que já compilou quantia superior a R$ 50 bilhões em desvios e fraudes na movimentação e lavagem de dinheiro para pagamento de corrupção de agentes públicos pelas empresas privadas envolvidas, começam a vir à tona os nomes dos bancos envolvidos no toma lá-dá cá da mega movimentação de dinheiro. No mensalão, escândalo diminuto, dois bancos naufragaram o Rural e o BMG.




Por Correio Brasiliense.

Sabe-se que um dos alvos principais das delações de Palocci serão bancos. Fala-se, entre os investigadores, do BTG Pactual e do BMG, esse com estreitas relações com Paulo Bernardo, ex-ministro do Planejamento. Não à toa, o mercado financeiro está em estado de alerta em relação ao que Palocci delatará.

Por Terra.com.br


10 banqueiros que se enrolaram nos governos Lula e Dilma.


Ricardo Guimarães (Banco BMG)

O dono e presidente do Banco BMG foi condenado por gestão fraudulenta no dia 15 de outubro de 2012 pela Justiça Federal em Minas Gerais. O banqueiro recebeu a condenação de 7 anos de prisão por participar do esquema do mensalão.
O Corinthians já está envolvido com a Odebrecht, atolada na Lava Jata, agora a BMG.
Avanti 1 milhão.


Torne-se Sócio Avanti.

Contrato de Adesão ao Programa Avanti.



14.99/mês.        34.99/mês.               64.99/mês
119.99/mês.     214.99/mês.           649.99/mês. 

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

84 Edições = 8 títulos / 25 edições = 10 títulos.

Nação Palestrina.

O projeto de reformulação da base do verdão, iniciada na gestão Paulo Nobre, e mantida na gestão Galiotte colocou o verdão, tardiamente, no topo do futebol de base em São Paulo e no Brasil.

O título desse texto traz os números do antes e depois da reformulação da base do verdão.

Até 2013, a base do verdão disputou 84 edições do Campeonato Paulista de base e ganhou 8 títulos.

De 2014 até 2018, ou seja, após a reformulação, o Palmeiras disputou 25 edições e ganhou 10 títulos.

Vejamos mais detalhadamente esses números.

Campeonato Paulista Sub-11.

De 2008, ano da primeira edição, até 2013 quando o Paulo Nobre assumiu, o verdão tinha 1 título dessa categoria. (6 edições, 1 título)

De 2014 à 2018 conquistamos mais 3 canecos e nos tornamos os maiores campeões da categoria com 4 títulos. (5 edições, 3 títulos)


Campeonato Paulista Sub-13.

De 2006, ano da primeira edição, até 2013, o verdão tinha 1 título dessa categoria. (8 edições, 1 título)

De 2014 à 2018 conquistamos mais 2 canecos, total 3. (5 edições, 2 títulos)

Campeonato Paulista Sub-15.

De 1999, ano da primeira edição, até 2013, o verdão jamais havia ganhado essa categoria. (14 edições, 0 título)

De 2014 à 2018 conquistamos 2 títulos. (5 edições, 2 títulos)

Também conquistamos a Copa Brasil (votorantim) de futebol sub-15 em 2018.

Campeonato Paulista Sub-17.

De 1980, ano da primeira edição, até 2013, o verdão ganhou 1 título. (19 edições, 1 título)

De 2014 à 2018 conquistamos mais 1 título. (5 edições, 1 título)

Conquistamos também o Mundial de clubes dessa categoria em 2018 e a Copa do Brasil em 2017.



Campeonato Paulista Sub-20.

De 1969, ano da primeira edição, até 2013, o verdão ganhou 5 títulos. (37 edições, 5 títulos)

De 2014 à 2018 conquistamos mais 2 títulos. (5 edições, 2 títulos)

Vale lembrar também o título inédito do Campeonato Brasileiro Sub-20 conquistado esse ano pelo verdão.

Esse balanço consta apenas os títulos de maior relevância.


Avanti 1 milhão.


Torne-se Sócio Avanti.

Contrato de Adesão ao Programa Avanti.



14.99/mês.        34.99/mês.               64.99/mês
119.99/mês.     214.99/mês.           649.99/mês.