sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Palmeiras x Ponte Preta.

Nação Palestrina.

A Sociedade Esportiva Palmeiras venceu a segunda partida seguida e volta, eu ainda não, a acreditar no título.

O Palmeiras, na minha opinião, vai entrar na disputa pelo título novamente se, o famoso "se", o verdão ganhar os dois próximos jogos e o Corinthians tropeçar pelo menos uma vez nas duas próximas rodadas.

Nesse domingo, o Palmeiras enfrentará um provável mistão do Grêmio, que poupará vários jogadores para as semifinais da Libertadores.

E em seguida, jogará contra o cruzeiro.

Vale lembrar que, enquanto o Palmeiras disputa esses dois jogos, o primeiro fora e o segundo em casa, o Corinthians joga duas fora, contra o Bota Fogo, disputando a última vaga na Libertadores e a desesperada Ponte Preta, que com a derrota de hoje ficou em situação complicada.

"Se" o Palmeiras vencer os dois jogos e o Corinthians perder um, chegaremos no clássico, com 6 pontos a menos e poderemos diminuir para 3, se vencermos o Derby.

Enfim...

Sobre o jogo.

Gostei do "contexto" geral, mas fiquei extremamente preocupado com o nosso setor defensivo, principalmente nas laterais.

Tanto o Egídio, quanto o Mayke não conseguiram  recompor a nossa defesa nos contra-ataques da equipe de campinas.

Principalmente nas costas do Egídio.



Tanto é que, as principais chaces de gol da Ponte foram pelo lado esquerdo da nossa defesa.

Espero que o Valentim tenha percebido isso.

Contra o Grêmio, mesmo desfalcado, não podemos cometer esses erros.

Para encerrar, é bom ver o Keno confiante, coisa que não se via nos últimos tempos.

 E claro, o Borja, tomara que o Valentim consiga aproveitar esse atleta.

Ele é um ótimo jogador, mas não conseguia se encaixar no esquema do Cuca, que o obrigava a jogar à quilômetros da área adversária.

Saudações Palestrinas.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Simples assim, sem invencionice.

Nação Palestrina.

Sem inventar, o técnico interino Alberto Valentim montou a equipe da maneira mais simples possível.

Para alguns cegos e paspalhos, o Valentim posicionou o time do mesmo jeito que o Cuca vinha fazendo. 

Com certeza esses paspalhos, não perceberam que o Bruno Henrique ficou mais contido na marcação, ao contrário do Jean, sacado, e que auxiliava muito o ataque, e por consequência, deixava o nossa defesa mais vulnerável.

Além disso, OBRIGADO VALENTIM, o Deyverson deu lugar ao Keno, mas o trabalho de "pivo" ficou para o Willian bigode.



Porém, a função do Willian, em teoria, a mesma do Deyverson, foi muito mais eficaz.

Willian, dava o primeiro combate sem a bola, mas quando o verdão recuperava a bola, ele partia para a área.

Já o Deyverson, jogava muito recuado, com ou sem a bola.

Ahh, mas o adversário era o Atlético (GO).

É verdade, mas no primeiro turno no Allianz Parque, o verdão venceu no sufoco por 1 a 0.

Outra mudança do Valentim nesse jogo, foi a NÃO marcação pressão, uma marca registrada do Cuca, mas que vinha deixando a equipe visivelmente cansada no segundo tempo.

O time ganhou o jogo de forma natural, sem precisar fazer pressão, sem o desespero de fazer o primeiro gol e sem a afobação para aumentar o placar.

Enfim, o mais importante, a vitória, e a caminhada rumo a vaga na libertadores.

Menos do que isso, vai da merda para esses jogadores.

Saudações Palestrinas.

domingo, 15 de outubro de 2017

Elenco na mão.

Nação Palestrina.

Ano passado, o início da "Era" Cuca no verdão foi acompanhada de 4 derrotas consecutivas e uma dolorida eliminação na primeira fase da libertadores.

Mas, mesmo com tantas reveses em tão pouco tempo, a expectativa em torno do seu trabalho era das melhores, porque ele tinha algo indispensável em um clube de futebol.

Elenco na mão.

Esse foi o diferencial para a caminhada do verdão rumo ao título do brasileirão 2016.

E, foi exatamente a falta desse diferencial que culminou com a temporada fracassada desse ano.

O comandante alviverde perdeu o elenco, e quando isso acontece, nada mais funciona.

Antes, em 2016, Cada jogador, não apenas acreditava no Cuca, como também, cada jogador jogava pelo Cuca.

Diferentemente do que aconteceu esse ano.

O caso Felipe Melo não foi a única situação desagradável ocorrida na Academia de Futebol, existem outros problemas de relacionamento, com o treinador, que foram abafados e que não chegaram ao conhecimento geral.

E essa será a primeira missão que o novo comandante alviverde terá que resolver.

Unir um elenco rachado pela soberba e pela discórdia.

Engana-se quem pensa que o futuro comandante palestrino terá vida fácil.

O Palmeiras tem o melhor estádio do Brasil.

O Palmeiras tem o melhor Centro de treinamento.

Também temos a melhor situação financeira.

Mas nada disso será suficiente se o próximo treinador não conseguir controlar o EGO dos atletas.

--------------------------

Cuca

Boa sorte e obrigado pelo título brasileiro de 2016.

Saudações Palestrinas.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Fracasso anunciado.

Nação Palestrina.

A seleção brasileira, que já garantiu a classificação para o Mundial do ano que vem, trará a campo, para o jogo no Allianz Parque, algo que infelizmente não entra na cabeça do treinador Cuca.

Sequência !

Mesmo classificado para a Copa, o Tite manteve, não apenas o elenco, mas o time que vem jogando.

Isso faz com que o time titular consiga algo que faltou ao Palmeiras em toda a temporada.

Entrosamento.

Hoje, a Seleção brasileira faz a sua última partida nas eliminatórias, e mesmo classificada, a seleção vem com o que tem de melhor, sem poupar ninguém. 

O treinador da seleção disse em entrevista :



- Não posso desestruturar a equipe. Mexo no goleiro, na lateral... Normalmente são duas mudanças. Se mexer demais, perde a organização, a coordenação e a preparação para o Mundial. 

Quando começa a mexer nos três setores, essa oportunidade se perde em função da falta de estrutura. Por isso que tomei o cuidado de não mexer excessivamente. Porque aí você vira ''Professor Pardal'' .

Tudo isso, dito pelo Tite, foi exaustivamente mencionado nesse blogue e em outros poucos blogues palmeirenses.

Hoje, o Palmeiras está pagando caro por ter realizado aquele maldito rodízio de jogadores.

E não foi por falta de aviso.

* O goleiro Ederson será testado como titular, ou seja, um teste, não meio time.

Saudações Palestrinas.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

O Padre te benzeu com água parada.

Nação Palestrina.

Qualquer pessoa que se dispõe a escrever em um blogue, seja de noticias ou apenas para expressar a sua opinião, está sujeito a ser alvo de inúmeras criticas.

Algumas construtivas e outras destrutivas.

Já passei por isso, aqui nesse espaço.

Mas o que me fez redigir esse texto foi a procura por "justiça" dos moralistas de plantão que se escondam atrás da "liberdade de imprensa" para atacar as mais variadas instituições e pessoas.

Jornalistas covardes e teleguiados, muitos movidos a dinheiro, pago por pessoas que querem ou precisam que determinadas pessoas sejam desmoralizadas, mas como esses merdas não tem coragem de faze-lo pessoalmente, pagam a "jornalistas" para que o façam.


Os covardes que se escondem atrás da liberdade de imprensa.

Nessa linha, o "comentarista" Juca Kfouri em sua última postagem, escreveu sobre a iniciativa de um dos mais canalhas e leprosos "jornalistas" esportivos que temos no Brasil, Mauro Cezar Pereira, que decidiu levar ao M. Publico uma relação de  comentários, feitos em seu blog e também nas redes sociais, que ele julga ofensivo, para ser analisado pelo chamado núcleo de crimes cibernéticos.

Esse "jornalista" faz parte daquela famosa "bancada moralista", donos da "ética e da honestidade" que impregnam o jornalismo esportivo nacional.

Agora, a "vitima" "ofendida" procura a justiça para tentar calar, a liberdade de expressão, a mesma liberdade de expressão que ele e seu amigo Juca Kfouri usam para atacar e difamar inúmeras instituições e pessoas.

Inacreditável como um ser humano consegue ser tão patético!

Como diria a minha falecida avó, eles foram batizados com água parada.

Saudações Palestrinas.

domingo, 1 de outubro de 2017

Tolerância zero!

Nação Palestrina.

Paciência tem limite, e a minha acabou.

Quem acompanha esse blogue sabe que defendo a saída do treinador Cuca por inúmeros motivos e após a derrota para o Santos a minha convicção prevalece.

Responsável direto pelas eliminações na Libertadores e Copa do Brasil, o nosso treinador perde para a sua teimosia, jogadores "queridinhos" e opções táticas de visível fracasso.

No jogo de ontem, a chuva atrapalhou bastante, ainda mais num gramado recentemente plantado.

Mas como todos sabem, menos aquela meia duzia de cegos e postulantes a vagas na sala de imprensa na academia de futebol, o campo estava ruim para os dois times.

No jogo de ontem, as inexplicáveis escalações de Zé Roberto e Deyverson, e pior, a não substituição do mesmo Deyverson foi a gota d'agua para mim.


A estupidez em escalar o Zé Roberto foi tamanha, que o treinador palestrino teve que enfiar a cabeça num buraco e substitui-lo remove-lo do gramado no intervalo devido as inúmeras investidas da equipe santista pelo lado esquerdo, assim queimamos uma substituição para corrigir a sua bizarrice em escala-lo.

E claro, a insistência no tal do Deyverson.

Esse atleta, além de ser limitado, joga fora de sua posição.

Na Espanha, ele jogava como um centroavante, ou seja, infiltrado na defesa.

Já no "esquema" do Cuca, o Deyverson sai da área para buscar o jogo.

Falando a modo grosso, ele 'faz uma parede' ou seja, 'retenção de bola' para a passagem dos laterias ou dos meias.

Mas isso tem um preço, aquele que deveria estar na área para finalizar, ou seja, ele mesmo, nunca está lá.

Esse 'esquema', foi um fracasso com o Lucas Barrios, que é muito mais jogador que o Deyverson, com o Alecssandro, com Borja e com o próprio Deyverson.

O que é preciso para ele enxergar isso?

Talvez sua demissão o faça!

Tolerância zero II.

 Ano passado o Cuca encheu o Saco com a indecisão dele se ficava ou não.

Agora de novo !

Vai se fuder!

O que falta para você decidir se vai ficar ou não ?

Não quer ?

Vaza, pau no cú.

Saudações Palestrinas.